Psicopedagogia e a Informática


Quando foi solicitado para a turma, elaborar um texto sobre a relação da Psicopedagogia com a informática, logo veio a minha cabeça uma situação vivida no período de estágio da faculdade, onde realizávamos atendimentos na clinica. Iniciei com um paciente o qual vou chamar de Pedro, realizava trocas dos fonemas e omissões, o paciente era participativo e demonstrava interesse nas atividades, trabalhávamos com jogos, brinquedos, criávamos algumas coisas, mas no decorrer dos encontros não observei evolução, o paciente fazia as tarefas mas logo ficava cansado e desinteressado, então em um dos atendimentos fomos até a sala de brinquedos, onde deixei que ele escolhesse o qual queria, ele foi direto a uma maquina registradora (de brinquedo), perguntei se queria levar mais algum, disse que não.
Pedro gostava muito de coisas com botões, pois em outras ocasiões percebi que ele gostava de ficar mexendo nas teclas do celular, outro dia, tinha uma calculadora em minha mesa, ele pegou e ficou apertando os botões.
Perguntei se conhecia computador, se já havia utilizado, Pedro relatou que o irmão tinha um em casa, então perguntei se queria aprender a usar e conhecer mais, disse que sim, fomos para a sala de informática, onde demonstrou contentamento em estar ali, iniciamos pesquisando algumas coisas, quis procurar algo sobre o grêmio seu time de coração, no decorrer dos atendimentos, fui observando coisas incríveis, ele realmente gostava e sempre aprendia algo novo, conheceu o programa onde podia desenhar, o editor de texto onde me revelou algo fascinador, o paciente não conseguia fazer a pronuncia dos fonemas /f/ e /v/, onde também não conseguia diferenciar o som, estas questões estávamos trabalhando na sala de atendimento e quando fomos para o computador percebi que ele estava digitando estes fonemas no editor de texto e depois que foi trabalhada a questão do som, ele em sua forma de “brincar no computador”, ficou segurando a tecla F e fazendo o som (fff...) e depois a tecla V com o som (vvv...). A partir do momento que, em conjunto com a terapia realizada em sala de atendimento, inclui o computador, a informatização, obtive resultados satisfatórios onde foi possível observar a evolução do paciente.
Hoje solicitada a fazer esta relação da psicopedagogia com a informática, gostaria de fazer uma citação que li em um texto indicado pela professora. “Seymour Papert, discípulo de Piaget, entusiasmado com o construcionismo deste, passou a aprofundar sua pesquisa das estruturas intelectuais. Para ele, nós nos motivamos a aprender o novo quando este tem alguma ligação com um conhecimento prévio ousignificativo para nós”.(FIGUEIREDO, Monica Nogueira da costa).
Antes de pensar na forma como vamos trabalhar com uma criança, para ajudá-la em seu desenvolvimento, devemos observar o que ela nos trás, porque em sua fala e seu modo de agir, podemos perceber as coisas que ela gosta atrai mais sua atenção.
A informática se bem utilizada e bem apresentada a criança, torna-se uma ferramenta preciosa para o processo de aprendizagem e a prevenção de problemas futuros. Em um atendimento psicopedagogico a criança estará se desenvolvendo, aprendendo, obtendo informções, sem se dar conta disto, ou até percebendo sua evolução, mas sem a sensação de estar realizando uma tarefa por obrigação.
O uso do computador é algo que desperta curiosidade e a psicopedagogia vem a utilizar isto a favor da criança, através de programas pedagógicos, onde estimula a capacidade de pensar, agir, questionar e criar, entre vários outros benefícios que esta junção podeproporcionar.
Silmara V. Silveira Silva
Fonoaudiologa e estudante do curso de especialização em Psicopedagogia clinica e Institucional do Centro universitario Metodista IPA

1 Response to Psicopedagogia e a Informática

21 de maio de 2010 05:35

Silmara,
o relato é muito interessante, poderias ter feito em aula, mas entendo, aqui é um lugar perfeito para publicar essa experiência.
Tiveste uma ótima compreensão da contribuição que a informática dá ao processo de aprendizagem e pode perceber na prática que o computador é uma das possibilidades de atrair o interesse do aluno.

Postar um comentário